segunda-feira, 6 de julho de 2009

POLÍTICA

Aprovada mudança no currículo do ensino médio
O Conselho Nacional de Educação (CNE)aprovou por unanimidade, proposta do Ministério da Educação que promove uma reviravolta no currículo das escolas de ensino médio. Disciplinas tradicionais, como português, matemática e história, darão lugar a eixos interdisciplinares. Os alunos terão liberdade para escolher 20% das matérias, e a carga horária vai aumentar das atuais 2.400 horas em três anos (800 por ano)para 3.000(1.000 por ano) .
O objetivo é tornar as escolas mais atraentes para os jovens. O MEC considera que o ensino médio vive uma crise de identidade, e que o problema vai além da falta de qualidade. Prova disso seria o desinteresse de parte da juventude pelo modelo de ensino predominantemente na rede pública. Nas escolas técnicas federais, porém, as vagas são tão disputadas que é preciso fazer vestibulares.
De início, o ministério pretendia também selecionar as cem escolas com piores resultados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A intenção foi deixada de lado a pedido do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).Segundo Haddad, o argumento é que a transição para o novo modelo poderia ser mais fácil em outras escolas que não as piores no Enem.
Com 97,6% das crianças e jovens de 7 a 14 anos na escola, o Brasil vive situação bem diferente na faixa dos 15 aos 17 anos: apenas 82,1% estudavam em 2007, segundo o IBGE. O pior é que somente 48% deles freqüentavam o ensino médio.
Fonte: O Globo
Autor: Demétrio Weber

Nenhum comentário:

Postar um comentário